1. MENU
  2. CONTEUDO
  3. RODAPE

Nova advogada diz que suposto serial killer está sendo 'coagido'

Por Eduardo Candido 22 Outubro 2014 Publicado em Segurança
Votao
(0 votos)
Lido 2049 vezes
Leonaine Camargo Leonaine Camargo Reprodução/TV Anhanguera

Uma das três advogadas que assumiram a defesa do vigilante Tiago Henrique Gomes da Rocha, de 26 anos, que confessou ter matado 39 pessoas, em Goiânia, afirmam que o cliente “está sendo coagido em algumas situações”.


Porém, não informaram como ele está sendo forçado e nem em que momentos. O grupo começou a representar o suposto serial killer na tarde de segunda-feira (21/10), após Thiago Húascar deixar o caso alegando “divergências nos honorários”.


As atuais defensoras não deram declarações de como está o andamento do caso. “No momento, estamos estudando o caso”, disse a advogada Leonaine Alves Camargo. Ainda segundo ela, existe a possibilidade de que os depoimentos que já foram dados por Tiago sejam invalidados, mas não explicou como se daria esse processo.


O argumento de que Tiago estaria sendo coagido já foi apresentado pelo ex-advogado. Na última quinta-feira (16/10), Húascar afirmou que o vigilante alegou estar sendo pressionado a confessar os crimes. “Para mim, a priori, ele negou os crimes. Ele falou que estava sozinho com um agente de polícia e realmente confessou os crimes, mas que não teria sido ele, que ele foi coagido”, disse na época.


Segundo o advogado, o depoimento não foi feito de maneira correta. “Tudo começou com base em um depoimento que ele deu no interrogatório, sem a presença de um advogado, sozinho, à noite”, ressaltou Húascar.


Porém, um dia após essa declaração, ao acompanhar os depoimentos do suposto serial killer, o advogado disse que se impressionou com a riqueza de detalhes que Tiago descrevia os crimes. "Eu fiquei realmente perplexo. Nunca vi nada igual", afirmou, na ocasião. Para ele, o jovem é "insano" e precisa de tratamento.


Crimes
O vigilante Tiago da Rocha foi preso na Avenida Castelo Branco, no último dia 14. Em seguida, ele foi encaminhado à Delegacia Estadual de Investigação de Homicídios (DIH), onde prestou depoimento e, de acordo com a polícia, confessou ter matado 39 pessoas desde 2011. Entre as vítimas estão 15 dos 17 crimes investigados inicialmente pela força-tarefa da Polícia Civil, entre eles, as mortes de Ana Maria e do fotógrafo Mauro Nunes. Os outros assassinatos seriam contra homossexuais e moradores de rua.


Dois dos crimes apurados pela força-tarefa não foram assumidos pelo vigilante: a morte de Danielly Garmus da Silva, 23 anos, e a tentativa de homicídio de Daiane Ferreira de Morais, 18. Entretanto, ele confessou outras duas mortes de mulheres que eram apurados de forma independente e, após a confissão, a polícia os incluiu nas investigações. São os homicídios de Arlete dos Anjos Carvalho, 16, e de Edimila Ferreira Borges, 18.


O primeiro crime da série de assassinatos contra mulheres ocorreu em 18 de janeiro deste ano, quando Bárbara Luiza Ribeiro Costa, de 14 anos, foi executada por um motociclista no Setor Lorena Park. A morte mais recente foi a de Ana Lídia Gomes, em um ponto de ônibus do Setor Morada Nova, no dia 2 de agosto, dois dias antes da criação da força-tarefa.


Prisão
Com medo de ser detido, Tiago revelou à polícia que interrompeu a sequência de mortes após o homicídio de Ana Lídia, informou o delegado Alexandre Bruno Barros. “Ele disse que parou porque ficou com medo de ser pego, por causa da força-tarefa. Depois, voltou no domingo [12] porque não aguentou mais, tinha que extravasar a raiva”, disse o delegado.


Segundo a Polícia Civil, o jovem foi identificado em imagens registradas por câmeras de segurança, no dia 12 deste mês, próximo à lanchonete em que uma mulher foi agredida por um motociclista. O caso foi incluído na força-tarefa. Segundo testemunhas, o motociclista de capacete vermelho, que seria Tiago, atirou na garota, mas a arma falhou. Então, ele deu um chute na boca dela. O vigilante acabou preso dois dias depois dessa agressão.


Fonte: G1 Goiás

000-A-Banner WhatsAppecontatos-RadioEldorado